quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

2 anos e 2 dias, sendo precisa.

Ela estava tão confusa. Não sabia o que queria, o que fazer, como agir. 
Estava ferida, é verdade. A ferida estava aberta e doía. Tentava remediar, mas não por muito tempo, sabia que tinha que tomar uma decisão, não podia deixar como estava. 

Então o conheceu. 
Tão lindo. Sorriso encantador, olhos infantis e maldosos de um jeito, ela não entendia como, encantador. 
Já estava envolvida com alguém, não queria estar, mas estava. 
Ele bagunçou o que já estava bagunçado. 
Resolveu tentar. Que mal teria? Não é como se estivesse namorando ou algo assim.

Não quero me envolver. - ele esclareceu. 
Nem eu. - ela concordou aliviada. 

Tudo estava muito complicado. Não precisava complicar mais. 

Amigos. Amigos que se divertem, ok? - ela falou sorrindo. 
Amigos que se divertem! Perfeito! - ele concordou com olhar maldoso. 

E realmente foi assim por muito tempo. 
Mas eles se envolveram. Não deu pra evitar. 
Pulando os detalhes, eles se apaixonaram.
Ele sofreu.
Ela sofreu.
Se separaram. 
...

O destino as vezes é bem travesso. Tornaram a se encontrar e resolveram encarar o que sentiam. Dois anos se passaram desde o dia em que ele pedira pra namorar com ela. A família reunida, ele suava frio, a mão gélida segurando firmemente a dela. 

Estão felizes.
Ela romântica, madura, menina mulher. 
Ele, menino, moleque, homem, sem jeito. 


Juntos, enquanto o amor lhes permitir. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

E você achou que...