segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Praticando o desapego?

"Vão-se os anéis e ficam os dedos"
Adoro esse ditado! Há verdade maior? 

Costumo brincar que tive uma criação "á la nordeste", isso porque os nordestinos (quem conhece sabe) são conhecidos pela boa comida e pela mesa farta (com exceção das regiões de caatinga e de seca, claro). E minha família é assim. 
Meus pais sempre prezaram a alimentação. Lá em casa a gente podia até ter só algumas peças de roupa no guarda roupa ou até mesmo ter só 2 pares de sapato, mas a mesa sempre era farta. 
Isso fez de mim uma pessoa sem apego por coisas materiais. Adoro tecnologia, adoro conforto e sou bastante consumista. Mas se as coisas apertarem não penso duas vezes antes  de vender as coias pra conseguir uma grana e desapertar o orçamento. 

Só nesse mês vendi meu iphone 3Gs amor da minha vida, rs, e comprei um celular LG android. Isso porque precisava do dinheiro. Uma semana depois vendi meu notebook, mas nesse caso foi necessidades práticas, ele era muito pesado e minha rotina não estava ajudando. Comprei um netbook de 12'. 

E sempre fiz isso ao longo da minha vida. Não entendo essas pessoas que criam apego a roupas, objetos eletrônicos e outros como se eles fossem seres humanos. Fazem drama por que precisaram trocar o carrão por um carrinho porque foi demitido e não conseguia mais manter, por exemplo. Ou uma cultura em que as pessoas preferem passar fome a abrir mão de alguns luxos que, por favor, nem são assim indispensáveis. 

Pra quem não me entende, ou fica falando "NOSSA BABI MAS JÁ TROUCOU/VENDEU/COMPROU OUTRO?" (olhar de admiração e choque) é só isso. Adaptação, necessidade. PRIORIDADES. Nada demais. 

2 comentários:

  1. não gosto de trocar celular/notebook por preguiça. tem nada de desapego, pura preguiça de fazer backup e instalar coisas de novo e claro, preguiça de aprender a mexer no novo.

    ResponderExcluir
  2. vc e essa preguiça, HIPOTIREOIDISMO. pode olhar.

    ResponderExcluir

E você achou que...