quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Para tudo, que eu tô voltando pra casa!

Estou aqui em Frankfurt esperando pra embarcar no voo pro Brasil, de volta pra casa.
A vontade de ver minha família, os amigos, o meu amor, é tão grande que chega a não caber em mim. 

O calendário de mesa marcado guarda na página do mês de fevereiro a minha ansiedade pra que chegasse a hora de embarcar de volta pra minha terra, onde cada dia tem um X que era colocado a cada manhã simbolizando que faltava menos um dia até a hora chegar. 

Não que eu não tenha gostado de estar aqui. Não me entenda mal, eu amei a oportunidade que nem todo mundo tem de estudar em outro país com uma bolsa de estudos integral como a que eu tive pra vir pra cá. Amei os momentos vividos, as experiências pessoais e acadêmicas e especialmente os amigos que fiz nesses 9 meses. E esses, pretendo levar no coração pra sempre! 

Acontece que chega uma hora que a novidade acaba, que o entusiasmo diminui e a saudade de quem a gente ama que parecia suportável começa a sufocar. Sacrifícios precisam ser feitos pra se alcançar um objetivo, ou um sonho, e eu fiz os meus. E como tudo o que se planta, você acaba por colher, chegou a hora de começar a colher os primeiros frutos e voltar pra casa. 

Sou muito grata a Deus e aos amigos, novos e antigos que me apoiaram de alguma forma nessa jornada. A minha família, que mesmo com a saudade e o coração apertado sempre estiveram ao meu lado. 
A babi de 9 meses atrás não é a babi que está voltando pra casa. A essência é a mesma, mas muita coisa mudou. O que eu aprendi, vivenciei e amadureci nesse período me fizeram enxergar muita coisa de uma forma diferente e encarar situações cotidianas de formas que jamais imaginei que encararia. 

O que eu posso dizer é que, valeu a pena a saudade, a comida muitas vezes ruim, o choque cultural, os dias trabalhando sozinha no lab já na reta final, e a solidão que começou a bater. 
Agora é voltar pra casa e continuar lutando pra alcançar meus objetivos colando sempre Deus a frente de tudo, porque sem ele, a gente não vai a lugar nenhum. 

Agora vou ali pro meu portão de embarque porque se eu perder o vôo eu tbm não vou chegar em lugar nenhum... rs 

:D


Um comentário:

  1. Fantástica sua experiência na Alemanha. Estou muito feliz e orgulhosa de você.
    Abraço

    ResponderExcluir

E você achou que...