terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Sobre 2014

Nunca poderia imaginar que em um ano só, conseguiria reunir tantos acontecimentos bons, ruins, ou apenas chocantes... E não estou falando só de mim, ou da minha vida não, estou falando do mundo, de tudo e todos, quanta tragédia, quanta gente que tivemos que dar adeus...
Se nós realmente só descobrimos o tamanho do fardo que conseguimos carregar quando de fato precisamos colocar ele nas costas, esse ano veio me entregar esse fardo pra que eu pudesse tirar prova.


 


Em uma retrospectiva bem enxuta: 
  • Fiquei noiva;
  • Voltei da Alemanha;
  • Meus pais se separaram; 
  • Formatura do meu noivo;
  • Minha melhor amiga de infância casou e teve seu primeiro filho;
  • Formatura da minha turma de Nutrição (fiquei pra depois por causa do intercâmbio)
  • Começaram os estágios na faculdade;
  • Perdi um amigo pro câncer;
  • Perdi meu segundo pai, meu sogro.

Mas enfim, sobrevivi. Na verdade, o ano ainda não acabou né? Estou sobrevivendo.
E sobre esse ultimo tópico, hoje fazem exatos 3 meses que aconteceu. Tentei escrever aqui sobre isso mas simplesmente não consegui. Cheguei a fazer uma postagem no face, estava com celular na mão, lembro que a dor tava me sufocando e acabei escrevendo esse post: 



A ficha não quer cair, a dor, ela é tanta que o peito arde. Nessa madrugada do dia 29 de setembro de 2014 o meu sogro, sogro luxo como eu costumava chamar nos deixou, sem ter tempo de dar tchau, de se despedir. Um ataque fuminante do coração levou uma das pessoas mais doces, amigas, companheiras e brincalhonas que eu conheci na vida. Além de grande engenheiro civil pioneiro no estado, que tem o nome em obras como o memorial Carlos Prestes e a Rodoviária de Palmas, guerreiro que sempre lutou pra dar tdo de melhor pra sua familia e nunca deixou de ajudar quem quer que fosse. A peça da paixão de cristo de Palmas perde o Caifas que vai deixar saudades. Mas que um sogro ele era como um pai pra mim que sempre me amou como uma filha. Esse dia vai ficar marcado na minha memória pra sempre, o meu filho ou filha não vai poder conviver com o avô mas com ctz vão saber o pai e sogro maravilhoso que vc foi. Tenho certeza que vc vai estar presente no meu casamento, abençoando de onde quer que vc esteja a minha união com a coisa mais preciosa que vc ajudou a colocar no mundo, o meu amor, seu filho que te tem e terá como exemplo de tudo pra sempre. Obrigada por tudo. E que vc descanse em Paz que os anjos te acolham no céu. O que resta são as lembranças das gargalhadas e momentos de diversão. Sua nora luxo que vai te amar pra sempre! 
em 29 de Setembro de 2014

Poderia comentar cada um dos itens acima, e na verdade, eu pretendia mesmo escrever 3 posts falando de tudo que aconteceu nesse ano, mas como já disse aqui uma vez, escrever é sentir e querendo ou não, não são só coisas boas que teria que reviver... E não acho que conseguiria lidar, o que chega a ser irônico, já que eu criei isso aqui pra colocar para fora escrevendo o que nem sempre eu consigo falar...

Copiei e colei aqui, mas não consegui ler o que escrevi. A ferida tá começando a cicatrizar, e as vezes me pego com olhos marejados, lembrando que não, meu sogro não está viajando como ele sempre fazia... e que não, ele não vai voltar. Lembro com tristeza e alegria, uma saudade estranha e sofrida, difícil de explicar.

“Uma saudade que faz os olhos brilharem por alguns segundos e um sorriso escapar volta e meia, quando a cabeça insiste em trazer a tona, o que o coração vive tentando deixar para trás.” 
Caio Fernando Abreu 

Se tem uma coisa que esse ano me lembrou, é que não somos imortais e que nada, absolutamente nada, dura para sempre. Somos tão pequenos diante do todo que é o universo, tão vulneráveis perante a vontade de Deus e tão tolos quando achamos que temos controle de alguma coisa.

O que eu espero? 


Espero muito que a dor sirva como combustível e que o ano que está chegando venha repleto de realizações e momentos felizes, porque de uma coisa eu tenho certeza, nada acontece por acaso, e não estamos aqui a toa. 

Ao menos eu, bem, eu não vim a passeio...
E que venha 2015!

Ps. Escrito em 5/12/14, editado em 19/12/14, 25/12/14, finalizado e postado hoje, 29/12/14 (apesar do meu blog estar no horário de verão e insistir que já é dia 30).

Um comentário:

  1. Quanta coisa Babi. 2014 valeu por uns cinco anos - pra todos nós, eu acho. E voltar a escrever é bom, pra reavaliar tudo, arejar, organizar as idéias e os processos de aceitação. Você parece bem agora - espero que esteja mesmo. E continue com a terapia da escrita. Todos agradecem. =)

    ResponderExcluir

E você achou que...