segunda-feira, 30 de maio de 2016

APENAS PAREM.


Estou a quase um ano sem escrever aqui, minha última postagem data de junho do ano passado. E isso se deve a vários fatores, dentre eles a falta de inspiração e tempo mesmo. Criei esse blog para escrever quando eu achasse que a situação exigisse palavras escritas, e não somente faladas. Como diz no título "As vezes escrever funciona mais que falar". 


Bom, eu continuo sem tempo, talvez com um pouco mais de inspiração... mas o que me fez voltar aqui foi pura e meramente indignação. O caso da meninas de 16 anos que foi estuprada por mais de 30 caras mexeu muito comigo, e com milhares de outras mulheres, no Brasil e no mundo (sim, o caso já ganhou repercussão internacional - obrigada internet) E eu venho compartilhando muita coisa sobre isso na minha página do Facebook, não só sobre esse caso, mas sobre o estupro em si, sobre a cultura do estupro e sobre a luta das mulheres para que isso acabe. 

Mas eu não tinha escrito nada sobre com as minhas palavras. Até agora. 
Hoje eu acordei, e como de costume, peguei meu celular e fui dar uma olhada no Facebook, ainda na cama. Me deparei com um textão que havia sido compartilhado por uma pessoa da minha rede de contatos, uma mulher, vejam bem... com os seguintes dizeres: "Uma hora a verdade aparece, né mesmo?".  O texto era sobre o caso da menina "estuprada" - sim, com aspas, vocês entenderão já já - pelos mais de 30 caras.  Bom, vamos parar por aqui. Está na moda usar exemplos pra explicar situações, então vamos lá. Venham comigo. Imaginem a seguinte situação: 

Carlos é um rapaz classe média alta, mora em bairro relativamente nobre no rio de janeiro, é um bom rapaz, bom filho, todos gostam muito dele. Ele é universitário, vive da mesada do pai, e adora posar de pegador. Carlos sempre posta foto rodeado de garotas, bebendo em festas, nas redes sociais. Carlos gosta de ir pro baile funk da favela com alguns amigos, pra pegar umas novinhas e ficar "no grau", mas não é sempre não, só as vezes, quando tá animado.Carlos anda com uma galera barra pesada, de quem ele compra umas paradas. No ultimo final de semana Carlos foi pegar geral no baile funk e acabou se metendo com a namorada de um traficante. Carlos não acabou a noite muito bem, Carlos foi espancado até quase morrer por mais de 30 caras da quadrilha do traficante de quem ele pegou a namorada. Foi tudo filmado e jogado na rede, Carlos foi exposto e humilhado. Carlos está na UTI, a policia chegou em tempo de acha-lo com vida. A família está indignada, quer justiça, está dando entrevista em todos os jornais, porque o filho deles não merecia isso. Carlos é um menino bom. A população está revoltada, quer justiça. Afinal, foram mais de 30 contra um. Isso é um absurdo! Ele não tinha como saber que a garota era namorada de traficante...

De quem é a culpa? Seguindo a lógica das pessoas que insistem em dizer que a culpa do estupro foi da garota, a culpa foi do Carlos. Afinal: 

1. Carlos vivia drogado enfiado em baile funk de favela; 
2. Vivia se metendo com mulher dos outros, pegava geral; 
3. Fez um monte de postagem cercado de mulheres, adorava uma farra; 
4. Na noite do ocorrido, Carlos postou que iria pegar geral no baile, os caras que segurassem suas novinhas; 
5. Quem mandou ele sair pra curtir a noite em baile funk? Tava procurando né não? 

A diferença, é que se o caso do Carlos fosse real, nenhuma dessas questões seriam se quer levantadas. E vocês sabem o porquê? Porque Carlos não é mulher, Carlos não foi estuprado. Ninguém precisa justificar o que aconteceu com Carlos. 


O texto que eu li e que me deixou completamente indignada fala exatamente isso. O texto JUSTIFICA, ou pelo menos tenta, a atitude dos 30 caras, usando fatos a respeito da vitima, usando a história de vida dela, usando argumentos patéticos para justificar o injustificável. Não vou divulgar o texto porque não quero dar ibope pra pessoa que escreveu, e porque quem compartilhou retirou logo em seguida, desconheço o motivo... mas vou listar aqui o motivo pelo qual a autora do texto acha um absurdo estarmos tratando o caso como um estupro... segundo ela,  (se diz ter 35 anos, ter sido criada em favela e nem por isso ter se "perdido" como a adolescente violentada): 

1. A adolescente quando tinha 11 anos, postou na sua página de Facebook que "ia pro baile funk dar pra geral". 
2. Aos 13 engravidou de um traficante que foi preso logo depois. 
3. Faz apologia ao tráfico, usa drogas e se beneficia dele. 
4. Posta foto com drogas e lamenta morte de vagabundo.
5. Pediu ao ficante pra chamar a tropa porque ela quer dar pra 50. 
6. Biazinha é famosa na favela, pode perguntar pra qualquer um, sempre deu pra geral. 

Segundo a autora do texto, ainda, a garota agora que está sendo orientada por uma advogada retirou as postagens do Facebook e sustenta o papel de vítima. Tudo está acontecendo porque o vídeo vazou e a adolescente não sabia que seu caso iria tomar essas proporções. Envergonhada, ela resolveu "pagar de vítima" por vergonha da situação toda.


O.K. Vamos por partes. 

VERGONHA DA SITUAÇÃO TODA. 
Ou seja, ela nem se incomodou, o real problema é os pais dela terem descoberto e o Brasil todo ter "visto" ela "dando" pra geral. 
É tão incoerente, que vejam bem, se ela tinha fama e dava pra geral, os pais dela sabiam e com certeza o que os outros pensavam nunca foi uma preocupação.  

Agora, pegar o passado da garota pra usar como justificativa é simplesmente ridículo. 
Se ela dava pra geral, se ela tem fama na favela, se ela foi mãe na adolescência, se ela se drogava, ELA ESTAVA EXERCENDO A LIBERDADE DELA

Certa ou errada, ela ou qualquer outra mulher pode fazer O QUE QUISER com o próprio corpo. 

ISSO NÃO JUSTIFICA ESTUPRO. 

No vídeo, ela está DESACORDADA


Se ela deu pra 10 numa noite como estão falando por ai, ela fez porque quis, porque sentiu vontade, porque isso proporcionou algum prazer e felicidade a ela. 

NÃO EXISTE PRAZER EM SEXO FORÇADO. NINGUÉM FICA FELIZ COM UM ESTUPRO. 

Quantos caras usam drogas e pegam várias numa noite? Participam de orgias, inclusive com outros caras? Isso dá direito de 30 mulheres, ou caras o doparem e usarem o corpo dele como bem entenderem? 

VAMOS PARAR DE HIPOCRISIA. 

Parem de procurar justificativas para atitudes como essa. 

APENAS PAREM. 

E ainda tem gente que acha que não existe cultura do estupro. Os comentários na postagem eram assustadores. A quantidade de mulheres defendendo essa teoria absurda me deixou ainda mais revoltada. 

Só porque ela não seguia o que a sociedade dita como comportamento ideal, ela MERECIA ISSO? 

FAÇAM ME O FAVOR.  

E eu não vou nem entrar no mérito sobre o que pode ter levado ela a ter a vida que levou, porque isso daria outro post e eu realmente não parei pra escrever sobre isso. 

Só queria colocar pra fora a indignação que eu passei o dia guardando. Boa noite.

E obrigada a você que encarou o meu textão e chegou até aqui. 
   


Nenhum comentário:

Postar um comentário

E você achou que...